PARA SUGESTÕES & ANÚNCIOS

© 2008  RPG Planet | Tchelo e Lina Pascon.

 Desenvolvido por Webcraft Comunicação Ltda.

Notícias!

Forbidden Lands: 50% financiado em 24 horas
RPG Planet vai marcar presença no lançamento da versão brasileira de D&D 5E
Conheça os Locathah, nova raça jogável de D&D 5E
Show More

Fórum

25 de Nov de 2017

Início de um combate

4 comentários

Olá, tenho uma dúvida a respeito da seguinte situação: Vamos imaginar que um Ladino se esconde atrás de algum obstáculo, e possui um parceiro também escondido, o Ladino espera somente um monstro passar perto para ele poder atacar. Finalmente o monstro passa perto do Ladino, então o Ladino sai do esconderijo e realiza um ataque com uma adaga. Logo, o Ladino acaba de começar o combate.

Agora a questão. Eu devo determinar a iniciativa dos envolvidos após o ataque do Ladino ou antes? E se for depois, esse ataque que o Ladino executou já conta como um turno mesmo antes da definição da iniciativa ou ele poderá ter mais uma ação nesse primeiro round? E se for antes, o Ladino deixaria de realiazar seu ataque caso seu parceiro tivesse um teste de iniciativa maior?

25 de Nov de 2017Editado: 25 de Nov de 2017

Vejamos. Primeiro você deve determinar surpresa. Tanto o ladino quanto seu parceiro rolam um teste de Esconder (a perícia). Isso vai ser comparado ou com a percepção passiva do monstro, ou com a percepção ativa (um teste de percepção) caso ele desconfie de algo e esteja ativamente procurando por inimigos.

 

Digamos que o ladino e o seu parceiro tenham conseguido se esconder com sucesso (ou seja, ambos rolaram mais alto do que a percepção do monstro), e o monstro agora está passando perto do ladino, e o ladino declare que deseja atacar (e o seu parceiro quer participar tb!). Se alguém quer machucar outro alguém, é hora de rolar iniciativa.

 

Antes de qualquer ataque acontecer, você rola iniciativa de todo mundo, do ladino, do parceiro e do monstro (que ainda não sabe do seu destino terrível, mas rola iniciativa mesmo assim).

 

O monstro está surpreso no seu primeiro turno, pq não percebeu os outros. Então até o fim do seu turno nessa primeira rodada (que pode acontecer antes do ladino/parceiro, se ele ganhar na iniciativa), ele não pode fazer nada, nem ação nem reação, e é considerado surpreso (para habilidades como o "assassinate" do rogue assassino).

 

O ladino e seu parceiro agem nas suas rolagens de iniciativa, normalmente. Talvez o parceiro seja mais rápido que o ladino, mas isso não vai importar muito - ambos terão a chance de mutilar o pobre monstro.

 

Lembre que o primeiro ataque de cada um terá vantagem, pq estavam escondidos! (Assim que vc ataca, você revela sua posição, mesmo que seja de longe e você erre o ataque).

 

Aí começa a segunda rodada. Nessa rodada vai todo mundo agir normalmente, na sua ordem de iniciativa.

 

Ficou claro?

26 de Nov de 2017

Mais do que claro! Muito Obrigado.

26 de Nov de 2017

Porém, se o parceiro do Ladino declarar que não ataca, que vai esperar um pouco. Quando ele finalmente entrar no combate, rola-se a iniciativa só dele ou de todos novamente?

26 de Nov de 2017Editado: 26 de Nov de 2017

O parceiro rola iniciativa junto com o restante, mesmo que não queira fazer nada ainda. Está acontecendo um combate ali no lugar onde ele está, e ele faz parte da "cena", mesmo que não queira participar do ataque no monstro ainda.

 

Ele pode optar por não fazer nada no turno dele e esperar chegar o seu turno novamente na próxima rodada.

 

Ele também pode "preparar uma ação". P.ex, ele pode preferir não se envolver a menos que o Ladino esteja em apuros. Talvez o monstro seja muito mais forte que ele, e ele não quer arriscar chamar a atenção do monstro a menos que seja necessário. O parceiro pode dizer: "se o ladino cair no chão, eu ataco".

 

Aproveito para falar de outro caso - e se o parceiro não estava lá, mas chegou depois e o combate já tinha começado? Aí o DM determina em que rodada ele vai entrar, e ele rola a iniciativa só dele. Digamos que o Ladino esteja agindo na iniciativa 20, e o monstro na 15. O parceiro chega na cena. Ele rola 17 de iniciativa e age entre o Ladino e o monstro (nessa e nas próximas rodadas).

 

 

Para referência, texto do livro sobre preparar uma ação:

 

PREPARAR

Algumas vezes você quer saltar sobre um adversário ou

quer esperar por uma circunstância particular antes de

agir. Para fazê-lo, você precisa usar a ação Preparar no

seu turno para que possa agir mais tarde naquela rodada

usando sua reação. Você tem até o início do seu próximo

turno para usar uma ação preparada.

Primeiro, você decide que circunstância perceptível

será o gatilho da sua reação. Então, você escolhe a ação

que irá realizar em resposta àquele gatilho ou escolhe

mover o seu deslocamento máximo em resposta ao

gatilho. Exemplos incluem "Se o cultista pisar sobre o

alçapão, eu vou puxar a alavanca que o abre", e "Se o

goblin se aproximar de mim, eu vou me afastar".

Quando o gatilho ocorre, você pode tanto realizar sua

reação logo depois do gatilho ou pode ignorá-lo. Lembre-se

que você pode realizar apenas uma reação por turno.

Quando você prepara uma magia, você conjura a

magia normalmente, mas segura a energia que será

liberada em sua reação quando o gatilho ocorrer. Para ser

preparada, uma magia deve ter o tempo para conjurar

magia igual a 1 ação, e segurar a energia de uma magia

exige concentração (explicado no capítulo 10). Se sua

concentração for quebrada, a magia se dissipa sem efeito.

Por exemplo, se você está concentrando a magia teia e

prepara a magia mísseis mágicos, sua magia teia

termina, e se você sofrer dano antes de conjurar mísseis

mágicos em sua reação, sua concentração pode ser

quebrada.

Posts Mais Recentes