PARA SUGESTÕES & ANÚNCIOS

© 2008  RPG Planet | Tchelo e Lina Pascon.

 Desenvolvido por Webcraft Comunicação Ltda.

Notícias!

RPG Planet vai marcar presença no lançamento da versão brasileira de D&D 5E
Conheça os Locathah, nova raça jogável de D&D 5E
Vampiro: A Máscara 5ª edição vai chegar ao Brasil pela Galápagos Jogos
Show More

Fórum

Mai 30

Metodo Narniano de Mestrar para Iniciantes:

1 comentários

Venho relendo os livros de C.S. Lewis e percebi que o 'O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupas' usa o mesmo caminho que o desenho 'Caverna do Dragão'. Mas eu me lembro que já joguei campanhas com a mesma premissa, mas não eram tão agradaveis por serem "toscas". Então analisei as duas obras anteriormente citadas e percebi alguns pontos em comum que os DMs que moderaram tais jogos não usaram.

1 - Estabelaça um "nível 0" e faça com que os jogadores escolham sua classe mais tarde: Como estaria pensando em um jogo para meus primos, com a mesma premissa, então temos crianças de 9 a 12 anos que estão tendo o primeiro contato com o RPG. Não cobre um backstory e peça que inicialmente interpretem a si mesmos. Limite eles a humanos (inicialmente) e envie-os para o mundo magico numa situação de nosso mundo real. Dê pontos de vida (sugiro 5+M/Con) e vá aos mostrando que o mundo magico é perigoso e não deve ser subestimado. Assim, quando tiverem um patamar de experiencia, de a eles o primeiro nivel e a sua classe, como no nivel 1.

2 - Balanceie o jogo: Por acaso a lingua que os jogadores sabem falar é a lingua comum. quem diria que no mundo magico todos falam portugues (ou ingles). De aos personagens iniciais algumas proficiencias (2 skils, lingua comum [ler e escrever] e uma ferramenta [jogo, kit ou instrumento musical, que faça sentido que eles saibam]) e faça que eles tenham acesso a armas magicas.

3 - Não limite os objetivos a somente voltar para casa: Para que o jogo seja divertido o personagem deve ter uma motivação para agir. E se a porta que os leva para casa nunca se feche e os PJs estejam dispostos a ajudar um NPC? E se eles forem o foco de uma profecia? E se um companheiro se perdeu no caminho? Faça com que os jogadores queiram se aprofundar no cenario, crie amizades, amores, rivalidades e destinos... Só não exagere, são só crianças.

Vamos agora analizar nossos exemplos:

4 irmão encontram uma passagem para um mundo magico dentro de um guarda roupas enquanto se escondiam para não levar bronca. Um deles (dois na verdade) já esteve por lá e fez um amigo que foi levado prisioneiro por uma tirana, e mais tarde um deles tambem é preso pela mesma. Eles então se juntam a uma rebelião que deseja derrubar a tirana, e os rebeldes acreditam que eles são parte de uma antiga profecia. No meio do caminho eles recebem de presente Armas magicas (Como uma poção que restaura 1000HP imediatamente e um arco que dificilmente erra o alvo) que serão usadas nas missões.

6 amigos vão para um brinquedo e o carrinho cai em um mundo magico por uma passagem só de ida. Eles encontram um Mago Halfling que lhes oferece armas magicas para se protegerem dos perigos que protegem o caminho de volta, enquanto vão fazendo amizades com os moradores da região e os ajudando sempre que podem.

Crianças humanas do nosso mundo que encontram a passagem por acidente, recebem armas magicas, se tornam herois e são motivados por mais que o sentimento de voltar pra casa (até por que alguns deles até esqueceram disso). Agora uma ideia para iniciar uma campanha assim.

Um rei mago maligno deseja se tornar um Lich e seu inimigo, um bondoso e poderos Clerigo encontra um grupo de crianças de outro mundo que ficaram presas. Prometendo levá-los para casa, o Clerigo os põe sobre provação para ter certeza que merecem sua confiança. As crianças em suas provações encontram armas magicas e descobrem talento para magia ou batalha. Ao se provarem merecedores, as crianças são enviadas para impedir que o Rei Mago consiga os ingredientes da poção. Quando conseguem o último item, descobre que o Rei Mago era bonzinho, apenas mal compreendido, e o Lich era o Clerigo que os manteve presos enquanto podia retorna-los quando quisesse. Assim, o dilema. Derrotar seu antigo Patrono, ou deixar esse mundo cair em perdição e voltar para casa?

Breno, parabéns pela sua leitura, tanto das obras originais, quanto das adaptações narrativas necessárias para transformá-las em aventuras de RPG. Estou começando a mestrar agora, e mal vejo a hora dos meus priminhos crescerem um pouco mais para poder me divertir com eles nesses mundos mágicos. Mandou bem.

Posts Mais Recentes
  • Eu sou um mestre novo, mestrei umas 3 campanhas anteriores que duraram apenas 1 sessão kkkk. Achei um mapa pronto na internet e já consegui pensar em alguma coisas pro cenário: A aventura vai começar em uma taverna chamada Bárbaro Rastejante na cidade de Surothel, durante uma festa a filha do taverneiro é assassinada por um Doppelgänger que é um assassino de aluguel famoso no continente inteiro. A filha do taverneiro ia herdar um cajado mágico de sua tia, esse cajado aponta um grande tesouro, quando um herdeiro de alguma herança é morto, é tido como tradição um campeonato em um coliseu e o vencedor ganha a herança. Quem contratou o assassino foi um nobre que a muitos anos atrás teve um caso com a tia da herdeira, ele descobriu sobre a herança e matou a amante e sua herdeira com o objetivo de ganhar a batalha no coliseu e assim ficar com a herança. Os PJ's vão ser contratados pelo taverneiro para descobrir quem matou sua filha e o por quê. Até agora eu pensei nisso, eu queria pedir ajuda sobre como prosseguir a história a seguir, algumas ideias de cenário, NPC's e qualquer comentário sobre a aventura. Obrigado.
  • Fala pessoal, Uns meses atrás eu decidi narrar minha primeira aventura. E apesar de já ter lido livros de aventuras prontas, eu preferi criar minha própria. A ideia da aventura: Aventureiros que se conhecem (ou não) estão em uma taverna ou descansando a beira da estrada, quando uma tempestade de neve muito forte quebra a paz do lugar, trazendo terror e desespero para todos. Essa tempestade traz um exército de esqueletos com ela e os aventureiros tem que sobreviver, além do combate, ao frio incomum daquela tempestade. Essa tempestade é resultado de uma magia muito poderosa, lançada por um lich que deseja tornar o mundo uma necrópole. Ele fez isso a mando de um lorde demônio de ums dos nove infernos. Eu consegui narrar as primeiras 3 sessões. Só que depois disso eu fiquei sem ideias de como fazer os jogadores avançarem na história. Eu pesquisei várias coisas sobre forgotten realms, no local onde eles tinham conseguido abrigo, mas só tive a ideia depois que já tinha cancelado o rpg... Vocês podem me ajudar com alguma ideia sobre como evoluir os personagens até eles terem capacidade de matar um lich, dando aos jogadores aquela sensação de que a cada passo que eles dão, ficam cada vez mais perto do embate que pode custar as vidas, não somente deles, mas de todo o mundo?
  • estou com uma dúvida de como fazer uma estrutura da historia de rpg de uma forma dinamica. Pode me ajudar?